quarta-feira, 8 de junho de 2011

Relatos de uma Prisioneira

 E ela sofria calada.Escondia suas lágrimas.Os pulmões a sufocava.Chorava em seu leito trancada, para que ninguém á incomoda-se.E as lágrimas lutavam em em seus olhos tristes como em um crepúsculo sem luar.Tudo a perturbava.Seu corpo estava fraco, debilitado e sua alma cansada.
 Não havia palavras bonitas e nem um colo para ampará-la.Era apenas a mulher e sua mágoa.Sua face era como de uma criança ingénua e suas mãos sujas de sangue.Seu próprio sangue de arrependimento.Não suportaria mais que alguns minutos.A dor era nada mais que uma distração.A verdadeira causa de sua morte era a culpa.

                  Andressa S.A

Um comentário:

  1. Profundo... faz pensar em todos os momentos que sentimos culpa.Adorei!:)

    ResponderExcluir