domingo, 9 de junho de 2013

Perdida


 Era como se uma parte de mim faltasse, um vazio que eu não sabia explicar, uma memória cheia de perguntas e sem resoluções. Vaguei sozinha em busca de alguém, não sei quem, só sabia que era importante. Caí sem forças ao chão, com uma dor sufocada no peito e tão forte que eu apaguei.
 Era tudo um sonho, um delírio talvez ou uma previsão quem sabe. Percorri minhas mãos pela grama fresca ao meu lado e por um instante eu sabia por quem procurar. Quando eu o vi, nunca tive tanto medo em perdê-lo.

                                                    

                                                      Andressa S.A

3 comentários:

  1. Nossa, pelo visto já terminou o livro... e essa fotografia? perfeita! Amei, inspirada ein? Confere lá no meu...

    ResponderExcluir
  2. Adorei... :)

    R: Muito verdadeiras as palavras que deixaste no meu blog.Obrigada!
    "É assim uma tempestade, mas o sol sempre volta no final" - cada vez mais tenho a esperança de que o sol volte, e sim eu sei que ele vai voltar :)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Adorei, o texto tão maravilhoso :)

    R:sim tens razão, é sempre mais fácil, pois assim não sofremos muitos embaraços, como disseste :)

    Beijinhos

    ResponderExcluir