sexta-feira, 22 de março de 2013

Desalento


 Frágil como uma bonequinha de pano, sentada no chão ao relembrar seu passado ainda tão recente, feridas e mágoas encobertas pelo seu coração de carne, sufocada por suas escolhas mal determinadas e agora indesejadas.
 Sentia seu sangue ficar aquoso e pesado, seus olhos cerrados iam aos poucos perdendo o foco, lágrimas rasas deslizavam sobre sua pele de menina, seus pensamentos atordoados ultrapassavam cada ligamento do seu corpo.
 Ela buscou durante a sua vida toda e achou até que havia encontrado aquele fragmento de um sentimento entorpecente, aquele que as pessoas chamavam de amor. Era só isso que ela precisava e assim finalmente sua vida poderia fazer sentido, sem ter que olhar pra trás e se arrepender do futuro.


                                                                  Andressa S.A

Um comentário:

  1. Gostei mesmo muito do teu texto e do teu blog, acho que tens mesmo muito jeito para a escrita e consegues transmitir muita emoção em todas as palavras que escreves. Sigo te.
    Se quiseres passa no meu cantinho e deixa a tua opinião. :)

    ResponderExcluir